logo

publicado em:17/05/18 6:54 AM por: Viana Patricio B Neto

O neoliberalismo globalizado e globalizante exerce influência nefasta, principalmente, sobre as nações periféricas. Que pode ser “desenvolvimento regional” numa conjuntura de retrocesso político e democrático, e exacerbação da submissão aos postulados econômicos ultraliberais? Como formular, nesta conjuntura, estratégias viáveis para enfrentar o rebaixamento das condições de vida de populações socialmente vulneráveis? Como mobilizar energias e recursos para combater políticas produtoras de exclusão e de ampliação das disparidades sociais e econômicas na escala subnacional ou regional? Essa mesa redonda visa reanimar o debate entre estudiosos do desenvolvimento regional, assim como entre estudiosos e agentes envolvidos com e afetados por políticas promotoras de desenvolvimento regional. A noção de desenvolvimento regional volta a se abrir, podendo ser ressignificada. Não mais se limitando às definições estritamente econômicas, mas também abarcando os diferentes problemas das camadas subalternizadas das populações regionais. De qualquer maneira, desenvolvimento regional pode ser entendido como um processo do real. A desmontagem da engrenagem que reproduz esse processo está condicionada pela capacidade de desencadear e impulsionar resistências, e de esboçar cenários que apontem possibilidades emancipatórias. O passo concomitante ao da negação da perversa realidade que, teimosamente, se reproduz no tempo é o da mobilização de energias para a construção da utopia concreta.





Comentários